Carros automaticos

O câmbio automático, como se chama no Brasil, foi inventado por dois engenheiros brasileiros, José Braz Araripe e Fernando Lemos. Em 1938, a General Motors produziu o primeiro carro “hidramático”, depois de desenvolver o câmbio com o protótipo e o projeto vendidos pelos seus inventores.
As mudanças automáticas são um sistema empregado em automóveis e motas para troca de marchas realizada pelo sistema de transmissão do automóvel, que deteta a relação entre a velocidade (km/h) e a rotação do motor (rpm) para decidir pela troca automática da marcha. Desta forma o sistema se propõe a manter a rotação do motor quase constante e as mudanças automáticas fazem a troca das marchas. Nos sistemas modernos com mudanças automáticas a troca das marchas é quase impercetível ao condutor.
Ao contrário do sistema de câmbio manual onde se trabalha com engrenagens de tamanhos diferentes e engatadas individualmente, no câmbio automático utiliza-se o sistema de engrenagens planetárias, elas possuem tamanhos diferentes, mas todas elas estão sempre engatadas entre si, a relação da força é dada de acordo com a ordem que essas engrenagens estão conectadas.
Tem como vantagens a facilidade, o conforto, a segurança e uma maior durabilidade do motor e de todos os componentes da transmissão (caixa, eixos, diferencial). Muitas marcas apostam nos carros automáticos, desde a Mercedes-Benz, a BMW, a Smart ou a Audi.
O mercado de usados de carros automáticos em Portugal é mediano e com especial incidência nos BMW. Para adquirir o seu pode recorrer a várias opções de crédito ou financiamento.